Como os contraceptivos anulam os hormônios e por que isso deveria importar?

 

 

Texto: Lara Briden

Tradução: Verónica Gelman (esp) e Marcell Carrasco (port)

Imagem: Preeti Kinha 

 

A pílula anticoncepcional foi um passo importante em nossa luta pela legalização da contracepção. Comemoro isso, é claro. Além disso, os anticoncepcionais hormonais podem funcionar como medicamento para condições debilitantes, como a endometriose severa e períodos de menstruação muito abundantes. Eu também comemoro isso.

 

O que não comemoro é o discurso distorcido que apresenta os anticoncepcionais hormonais como os únicos métodos anticonceptivos. Tampouco celebro sua prescrição de “equilibrar os hormônios” para quaisquer sintomas de desequilíbrio hormonal que possam surgir em mulheres adultas e adolescentes.

 

Os anticonceptivos hormonais não equilibram os hormônios

 

Prescrever esse tipo de medicação para “equilibrar os hormônios” simplesmente não faz sentido. Esses anticoncepcionais não equilibram os hormônios, eles os desconectam. Ao suprimir a ovulação, desligam o estrogênio e a progesterona. Geram uma espécie de “menopausa química” e então instalam drogas anticoncepcionais como uma “reposição hormonal” para o organismo. Isso poderia funcionar se os anticoncepcionais fossem tão bons para nós quanto nossos próprios hormônios. Mas eles não são. As drogas anticoncepcionais nem mesmo são hormônios.

 

Drogas anticoncepcionais não são hormônios

 

O estradiol e a progesterona são hormônios verdadeiros. Os anticoncepcionais, como o etinilestradiol, o levonorgestrel e a drospirenona, são moléculas cuja estrutura difere dos hormônios humanos e não proporcionam os mesmos benefícios ao nosso organismo. Aqui estão alguns exemplos:

 

O estradiol afeta a resposta à insulina. Seu fármaco de reposição, o etinilestradiol, é uma possível causa de resistência à insulina. Este problema do etinilestradiol com a insulina torna a pílula um tratamento especialmente inadequado para a síndrome dos ovários policísticos (SOP), que pode ser causada pela resistência à insulina.

 

A progesterona promove o crescimento do cabelo. Seu medicamento de reposição, o levonorgestrel, causa queda de cabelo. O levonorgestrel e outros tipos de progestina também podem causar depressão, dores de cabeça, acne e outros efeitos colaterais. Para expandir essas informações, você pode ler (em inglês)  “A principal diferença entre a progesterona e as progestinas”

 

Sem dúvidas, os medicamentos anticoncepcionais podem trazer benefícios. Como mencionei no parágrafo inicial, reconheço que às vezes podem eliminar a dor e o sangramento intenso (embora outras vezes não ajudam em nada). Também reconheço que às vezes podem melhorar a acne (embora ela retorne quando o medicamento for interrompido). Para expandir este tópico, você pode ler (em inglês) “Como prevenir e tratar a acne parando de tomar a pílula”. Mas os anticoncepcionais nunca “regulam a menstruação” porque o sangramento que você obtém com a pílula é causado pela abstinência do medicamento. A esse respeito, você pode assistir a este vídeo (em inglês): Por que os anticoncepcionais hormonais não regulam os hormônios.

 

Os medicamentos anticoncepcionais podem prevenir a gravidez, mas não são a única maneira de fazê-lo.

 

Os medicamentos anticoncepcionais não são o único método anticoncepcional possível

 

Costumo ter conversas com minhas pacientes mais ou menos assim:

 

“Que método de contracepção você usa?”

“Eu não uso anticoncepcionais, uso camisinha”.

 

O que se instala no imaginário parece ser: “A contracepção é hormonal ou não é”.

 

No entanto, existem muitos outros métodos de proteção, como preservativos, o DIU de cobre e o dispositivo anticonceptivo Daysy. A esse respeito, você pode ler (em inglês): Os 5 melhores tipos de contracepção natural.

 

Os homens aceitariam um contraceptivo hormonal?

 

Imaginemos um mundo em que o cancelamento dos hormônios de homens adultos e adolescentes fosse uma prática comum. Imagine que dizemos a eles: “Vamos cancelar sua testosterona e substituí-la por uma pseudo-testosterona sintética. Isso causará aumento de peso, depressão e perda de libido… mas não se preocupe! Todos os meninos tomam”.

 

Este é o mundo em que vivemos nós, mulheres adultas e adolescentes. É hora de repensar seriamente essa realidade.

 

Se você precisar de ajuda para abandonar os contraceptivos, recomendo que leia este post em meu blog (em inglês): Como parar com contraceptivos hormonais, bem como meu livro O que nunca te contaram sobre seu ciclo menstrual.

 

 ——————————————————————————————————————–

 

Para seguirmos refletindo e construindo um debate juntes, deixe seu comentário ao final do texto!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário